Saiba como a redação do Enem é corrigida

A redação é a única, entre todas as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em que as notas realmente variam de zero a dez. Enquanto os cadernos com questões objetivas têm a pontuação baseada na Teoria da Resposta ao Item - TRI (o que faz com que as notas dos participantes variem de acordo com o desempenho de todos os candidatos - entenda aqui), a correção da redação é feita com a com a observação de cinco competências que estão definidas no Manual de Redação do Guia do Candidato.

Em cada competência, o estudante pode obter nota de zero a 200. Caso o candidato consiga a pontuação máxima em todos os itens, ao final ele terá uma redação nota 1.000.

Leia também:
O tema da redação do Enem 2013 é  “Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil”

Depois de algumas polêmicas na edição de 2012 do exame, o Ministério da Educação endureceu os critérios de correção. A novidade é que caso haja uma diferença maior do que 100 pontos entre a nota do primeiro e do segundo avaliador, um terceiro corretor é chamado para analisar a redação. Até o ano passado, o terceiro corretor só era acionado caso a variação fosse de pelo menos 200 pontos.

As cinco competências avaliadas na correção da redação do Enem são:

Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita
O corretor vai avaliar se você respeitou o padrão formal da língua escrita. É na competência 1 que são avaliados o uso correto da pontuação e a obediência às regras gramaticais, como regência nominal e verbal, concordância, grafia e acentuação das palavras, flexão verbal, colocação de pronomes, etc.

Demonstrar compreensão da proposta da redação e aplicar conceitos de diversas áreas do conhecimento para desenvolver o tema
É neste ponto que o avaliador observa se você compreendeu a proposta de redação e usou o seu conhecimento para desenvolver o tema. O candidato precisa elaborar um texto que apresente com clareza a tese a ser defendida e os argumentos que justificam aquela posição que foi assumida em relação à temática.

Demonstrar capacidade de selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações para defender um ponto de vista
Neste ponto, o corretor analisa se você selecionou, relacionou, organizou e interpretou informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa do ponto de vista defendido como tese. O objetivo é que o candidato apresente um texto coerente e possa ser entendido pelo leitor, fazendo-o refletir a respeito das ideias apresentadas.

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação
Na quarta competência, o corretor vai avaliar se você respeitou a estruturação lógica e formal entre as partes da redação. Para cumprir essa competência de forma satisfatória é muito importante saber utilizar os conectores: preposições, conjunções, advérbios e locuções adverbiais são  responsáveis pela coesão do texto porque estabelecem uma inter-relação entre orações, frases e parágrafos.

Elaborar uma proposta de intervenção ao problema abordado, respeitando os direitos humanos
No último ponto de avaliação, o corretor observa se você apresentou uma proposta de intervenção. Essa solução deve manter um vínculo com a tese desenvolvida no texto e manter coerência com os argumentos apresentados, já que expressa a sua visão como autor. A proposta de intervenção não deve ser muito genérica, e é fundamental que ela respeite os direitos humanos. Isso significa que não pode ir contra valores como cidadania, liberdade, solidariedade e diversidade cultural.

Redação nota zero
A redação do Enem pode ser desclassificada nos seguintes casos:
Se o candidato fugir do tema,
Se o estudante fizer inserções indevidas ou desconectadas do restante do texto
Se não usar a estrutura dissertativo-argumentativa. Por exemplo: escrever um texto narrativo ou uma poesia,
Se o texto tiver menos de oito linhas,
Se houver desrespeito aos direitos humanos,
Se a folha de redação estiver em branco, mesmo que o rascunho esteja preenchido